Banner Top

O Secretário Municipal de Cultura e Turismo de Campos Altos, Rideny Ferreira Martins, participou nos dias 21, 22 e 23 de junho do “IX Fórum Mestres e Conselheiros – Agentes Multiplicadores do Patrimônio”, que aconteceu na UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, na cidade de Belo Horizonte.

Hoje a municipalização das políticas do patrimônio ganha força no Brasil. É crescente o número de municípios que têm seus próprios conselhos do patrimônio e que vêm desenvolvendo ações para defender e preservar suas edificações, espaços públicos, coleções, acervos, festas e tradições orais, entre outros. Para se discutir essas experiências de municipalização em curso, surgiu em 2008 este Fórum, inicialmente voltado para Minas Gerais e que desde 2009 se estendeu para todo o país.

A ideia é congregar num mesmo evento os agentes que formulam e efetivam as políticas a nível municipal e os pesquisadores acadêmicos dos diversos programas de pós-graduação em nosso país, para realizar uma avaliação do processo de municipalização no Brasil, suas premissas, instrumentos utilizados, arranjos institucionais, resultados e possibilidades de financiamento.

A nona edição deste evento, teve como temática central a relação entre o patrimônio e a participação, tema essencial para uma reflexão em profundidade sobre as políticas do patrimônio em nossos dias.  Como se sabe, nas últimas décadas, o patrimônio deixou de ser considerado um campo restrito aos especialistas e técnicos, e se percebeu o caráter político das escolhas patrimoniais.

Essa politização do campo trouxe, em muitos casos, uma efetiva democratização, na medida em que esse novo público não vai ser apenas consumidor passivo de produtos culturais, mas atua também como cidadão em relação ao seu patrimônio.  Junto à “explosão” do campo de patrimônio, que passa da noção de  monumento único à ampla ideia de “bem cultural”, assistimos à emergência de novos atores como os movimentos sociais, os conselhos do patrimônio, as organizações não governamentais, entre outros. Nos últimos tempos, no entanto, esse avanço parece estar ameaçado, com o surgimento de ameaças à participação democrática no campo do patrimônio, com o avanço da especulação imobiliária sobre as cidades, retrocessos institucionais e fortes pressões sobre os conselhos do patrimônio.  Diante desse quadro, parece-nos urgente se refletir sobre a trajetória das políticas de patrimônio em nosso país e sua relação com a democracia.

Para discutir essa ampla e importante temática, este Seminário reuniu durante três dias em Belo Horizonte, os pesquisadores e estudantes das áreas multidisciplinares ligadas à preservação do patrimônio cultural, bem como os diversos agentes do patrimônio – membros dos conselhos municipais do patrimônio, secretários municipais, educadores e demais profissionais envolvidos com as políticas públicas de promoção dos bens culturais. Desta forma propiciou um espaço de discussão envolvendo questões teóricas e práticas no campo da preservação, de forma multidisciplinar com as diversas áreas do conhecimento.

            No evento aconteceram palestras, conferências, mesas redondas e oficinas de capacitação na área do Patrimônio Cultural. O Secretário Municipal de Cultura e Turismo de Campos Altos Rideny Ferreira Martins participou de todas as palestras, conferências, mesas redondas e de três oficinas, sendo elas: “Elaboração de Projetos Culturais”, “Bases conceituais para trabalhos e projetos em Educação Patrimonial” e “Mobilização da comunidade para o Patrimônio”.

            Todos os anos Rideny, esta presente no Seminário, se capacitando e trazendo novas visões na área do Patrimônio Cultural pra Campos Altos.

 

​Organização do Fórum:

  • Instituto de Estudos do Desenvolvimento Sustentável – IEDS
  • Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional  – IPHAN
  • Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável – PPG-ACPS da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Promotoria Estadual em Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais – MPE

 

Apoio:

  • Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA-MG

Patrocínio:

  • Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo – Minas Gerais- CAU-MG
  • Universidade Federal de Minas Gerais – Programa PAIE
  • Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB/MG
  • CAPES

 

0 Comments

Leave a Comment